Sociedade

Quarta dose da vacina contra a covid-19 chegou a 8% da população elegível: “em dezembro será tarde” para prevenir picos

Primeiros dias de campanha registaram “baixa adesão”, mas processo está “a ganhar velocidade de cruzeiro”. “É muito importante que as pessoas percebam que este é o momento de se vacinarem”, refere o coordenador do Núcleo de Apoio ao Ministério da Saúde

MIGUEL A. LOPES/LUSA

A vacinação com a quarta dose da vacina contra a covid-19 começou há quinze dias e, até agora, apenas cerca de 8% da população elegível foi vacinada. O coordenador do Núcleo de Apoio ao Ministério da Saúde, coronel Penha Gonçalves, alerta, em declarações ao “Diário de Notícias”, que os “picos vão aparecer e é preciso prevenir agora, em dezembro será muito tarde".

Apesar da “baixa adesão” no arranque desta campanha de outono-inverno, o processo está "a ganhar a velocidade de cruzeiro que se pretende”. Portugal foi dos primeiros países da União Europeia a comprar as vacinas já adaptadas às novas variantes. "Pretendemos oferecer a todas as pessoas acima dos 60 anos e às que integram os grupos de risco a oportunidade de serem vacinadas contra a covid antes do Natal, o que perfaz um grupo de três milhões", explica o coronel Penha Gonçalves.

“Foi feito um grande esforço para se começar mais cedo a proteção da população, e já com as vacinas adaptadas às novas variantes, porque temos a noção de que em Portugal há sempre um pico ligeiro em novembro, antes de chegarmos ao Natal, e depois outro mais forte em janeiro e fevereiro. E é agora que temos de ganhar proteção para esse horizonte temporal. Por isso, é muito importante que as pessoas percebam que este é o momento de se vacinarem - e não de adiarem este processo".

Sociedade