Exclusivo

Política

Entrevista a Graça Fonseca: “Não tenho qualquer espécie de vínculo a lado nenhum”

É ministra da Cultura, mas não esquece a Câmara de Lisboa e assume-se disponível para regressar aonde foi feliz. Graça Fonseca vai riscando da lista as heranças que lhe deixaram por resolver, mas quer mais. Não nega ambições e abraça as suas causas, em que o empoderamento feminino é fundamental

N

ão é Gracinha nem tenta ser. Dizem-na cheia de iniciativa e até demasiado informal, mas há quem a acuse de fria e arrogante. Define-se como alguém que se move por causas e relações. Porque, diz, é nas pessoas que encontra energia para continuar.