Exclusivo

Política

Costa quer “águas safas e ventos de feição”, PSD quer saber o que fará “para salvar o Alfeite”

RODRIGO ANTUNES/LUSA

De visita ao navio científico Mário Ruivo, o primeiro-ministro detalhou o capítulo próprio do Plano de Recuperação e Resiliência dedicado ao mar. À tripulação do navio, atracado na base naval, desejou “as maiores felicidades”. Os sociais-democratas gostavam que Costa se tivesse pronunciado sobre as graves dificuldades de tesouraria do Arsenal do Alfeite

12-04-2021

António Costa anunciou esta segunda-feira mais de 550 milhões de euros de investimento em investigação, economia do mar e segurança pesqueira. No final de uma visita ao navio científico Mário Ruivo no Alfeite, em Almada, o primeiro-ministro disse que Portugal tem a obrigação de fazer com que “o mar deixe de ser simplesmente uma retórica sobre a identidade nacional e passe a ser uma realidade do dia a dia”. O PSD descreve ao Expresso a visita como uma oportunidade perdida, uma vez que o chefe do executivo poderia tê-la aproveitado para explicar como pretende salvar o Alfeite.

“No âmbito da discussão pública do PRR [Plano de Recuperação e Resiliência], o Governo tomou a decisão de autonomizar um capítulo próprio dedicado ao mar, que mobilizará 252 milhões de euros, dos quais 30 milhões de euros alocados a uma iniciativa da Região Autónoma dos Açores e 222 milhões dedicados ao conjunto do país para o financiamento de atividades diversas”, especificou Costa, que foi acompanhado na visita pelo ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, e pelo ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos. Os jornalistas não entraram no navio e o anúncio foi feito no exterior, sem direito a perguntas.

Para continuar a ler este artigo clique