Exclusivo

Opinião

O Estado da inação

Sem reformas, dificilmente Portugal conseguirá crescer a ritmo minimamente aceitável. A menos que queiramos passar mais duas décadas a marcar passo

23-07-2021

Reformas estruturais são duas palavras malditas em Portugal. Para muitos, são sinónimo de austeridade, de cortes nos salários e pensões ou de revisão das regras laborais. E há razão para isso. É a terminologia usada frequentemente pelo Fundo Monetário Internacional, OCDE e Comissão Europeia. Mas, na verdade, reformas estruturais é tudo o que mexe com o funcionamento da economia. Seja para que lado for. Tanto é reforma nacio­nalizar como privatizar.