Exclusivo

Opinião

Dilip Kumar

1922-2021 Ator e produtor de cinema indiano, também conhecido como o “Rei da Tragédia”. Apaixonado por música e críquete, foi enterrado com honras de Estado em Juhu, Mumbai

23-07-2021

No passado dia 7, às 7h30, caiu uma estrela em Mumbai, um cometa, um planeta, um universo inteiro, mas o mundo é tão grande (e a Índia tão distante) que por cá ninguém sentiu o estrondo, as ondas de fragor imenso. Tinha 98 anos, morreu de cancro na próstata num hospital colossal, quase tão grande como ele, Dilip Kumar, que durante mais de seis décadas encheu as telas do cinema hindu com os seus papéis sé­rios e introspectivos, graças aos quais conquistou, entre outros cognomes, o título de “Rei da Tragédia”, mas que no plano pessoal lhe valeram fases bem beras de depressão e de abismo, coitado.