Internacional

Papa pede ajuda para a Somália devido a seca sem precedentes

A Somália e os seus vizinhos , nomeadamente a Etiópia e o Quénia, enfrentam a pior seca em mais de 40 anos
MASSIMO PERCOSSI/EPA

O Papa Francisco apelou este domingo à comunidade internacional para que ajude a Somália, que enfrenta uma grave seca que já atingiu níveis sem precedentes e, segundo a ONU, provocou um milhão de deslocados.

"Desejo chamar a atenção para a grave crise humanitária que afeta a Somália e algumas zonas dos países próximos. Os habitantes destas regiões, que vivem já em condições muito precárias, atravessam agora um período mortal devido à seca. Espero que a solidariedade internacional possa responder eficazmente a esta emergência", disse Francisco após a oração semanal do Angelus, no Vaticano.

"Infelizmente, a guerra desvia a atenção e os recursos, mas estes são os objetivos que requerem mais esforços: a luta contra a fome, a saúde, a educação".

A Somália e os seus vizinhos no Corno de África, nomeadamente a Etiópia e o Quénia, enfrentam a pior seca em mais de 40 anos.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados e o Conselho Norueguês para os Refugiados, mais de 755.000 pessoas foram forçadas a deslocar-se este ano no interior da Somália devido à fome, o que eleva para um milhão o número de pessoas deslocadas desde janeiro de 2021, quando começou a seca.

Neste país instável e de infraestruturas precárias, a luta contra esta seca devastadora é dificultada pela insurreição de radicais islâmicos, cuja implantação em vastas zonas rurais limita o trabalho das agências humanitárias.

Internacional