Projetos Expresso

Saúde. Qual é o impacto dos diagnósticos in vitro?

As declarações dos protagonistas da conferência “Diagnósticos in vitro: mais acesso, melhor saúde”, organizada pelo INSA, com apoio da Roche, a que o Expresso se associou

“Para os doentes isto representa um avanço brutal”, refere Álvaro Beleza, presidente da SEDES

“Utilizando a tecnologia do diagnóstico, mais rapidamente nós podemos atuar”, explica Fernando de Almeida, presidente do Conselho Diretivo do INSA

“O diagnóstico é uma das apostas que deverá ser seguida”, defende Cristina Abreu dos Santos, vogal do Conselho Diretivo do INSA

“Os diagnósticos in vitro têm um papel preponderante para o futuro dos sistemas de saúde e para a inovação, contudo ainda não são reconhecidos como uma área prioritária de atuação”, diz Guilherme Victorino, coordenador do estudo da NOVA IMS

“Esta é uma tecnologia que permite um diagnóstico mais precoce e permite antecipar algumas consequências mais nefastas que a doença pode vir a ter”, sublinha Joana Carvalho, vice-presidente da Administração Central do Sistema de Saúde

“Se conseguirmos fazer este trabalho preventivo conseguimos, seguramente, assegurar que os indicadores de saúde sejam melhores”, diz Jorge Seguro Sanches, vice-presidente da Comissão Parlamentar de Saúde

“Estes diagnósticos permitem uma terapêutica adaptada, indicada e iniciada precocemente”, reforça Maria José Rebocho, membro do Conselho Técnico-Científico da Associação de Apoio a Doentes com Insuficiência Cardíaca

Projetos Expresso