Economia

Jerónimo Martins afunda-se 6% e leva PSI a fechar no "vermelho"

PSI derrapou, empurrado pela Jerónimo Martins que se afundou mais de 6%. Europa também fechou o dia em terreno negativo

Foto: Euronext

O PSI, índice de referência da bolsa portuguesa, continua a sua maré “vermelha”, tendo voltado a fechar o dia em terreno negativo. Mais precisamente, o índice fechou esta quinta-feira com uma desvalorização de 1,72%, para 5292,38 pontos. O PSI foi empurrado, em grande parte, pela Jerónimo Martins, que se afundou mais de 6%.

Das 15 cotadas que compõem o índice, 13 encerraram o dia no “vermelho”, nomeadamente quatro dos cinco “pesos pesados” (cotadas que mais influenciam o PSI).

A retalhista, Jerónimo Martins, foi a cotada que mais perdeu, ao derrapar 6,07%, para 19,35 euros por ação.

À retalhista seguiu-se o BCP, que continua o seu ciclo de perdas, ao cair 2,75%, para 0,124 euros por ação.

Já a EDP caiu 1,54%, para 4,469 euros por ação e a EDP Renováveis deslizou 0,95%, para 20,92 euros.

Só duas cotadas escaparam à maré “vermelha” do índice, uma delas a outra “gigante”, a Galp. A petrolífera avançou 0,44%, para 9,63 euros por ação.

Lisboa segue, assim, a Europa, uma vez que as principais praças europeias também fecharam no “vermelho”. Por exemplo, o índice de referência europeu, Stoxx 600, perdeu cerca de 1,7%.

Economia