Economia

Novo aeroporto de Lisboa: PSD pede localizações alternativas ao Montijo

05-10-2020

O PSD diz que devem ser avaliadas localizações alternativas para o novo aeroporto de Lisboa, defendendo ser "previsível" que venham a ser apontados crescentes problemas ambientais à solução do Montijo e que se decida "sem qualquer sustentação técnica aceitável".

O PSD diz que devem ser avaliadas localizações alternativas para o novo aeroporto de Lisboa, defendendo ser "previsível" que venham a ser apontados crescentes problemas ambientais à solução do Montijo e que se decida "sem qualquer sustentação técnica aceitável". No Programa Estratégico e dos Fundos Europeus hoje apresentado, o PSD afirma que "relativamente ao novo aeroporto da área metropolitana de Lisboa é prematuro afastar cenários, visto que as opções tomadas têm exigido um estudo aprofundado dos seus impactos."

"Sendo previsível que venham a ser apontados de forma crescente problemas ambientais à solução do Montijo e que se recorra à decisão política sem qualquer sustentação técnica aceitável, pode abrir-se uma janela de oportunidade (reforçada pela pandemia) para localizações alternativas", defendem os sociais-democratas.

O PSD reforça que "nesse sentido é relevante identificar alternativas e ponderar soluções que não apenas respondam à procura, mas que tenham em consideração o papel que o mesmo pode ter no desenvolvimento regional e na coesão territorial".

O presidente do PSD sustentou hoje que o "Programa Estratégico dos Fundos Europeus para a Década" do partido, com medidas orçadas em 46.650 milhões de euros, assenta em "mais empresas e economia privada" em alternativa a "mais Estado".

Assente em quatro pilares -- Competitividade e Empresas, Desenvolvimento Humano, Sustentabilidade e Serviços Públicos -- o programa estratégico e para aplicação dos fundos europeus até 2030 foi elaborado pelo Conselho Estratégico Nacional (CEN) do PSD e hoje apresentado pelo líder do partido e pelo presidente do CEN, Joaquim Miranda Sarmento, que é também o porta-voz social-democrata para a área das finanças públicas.

O programa estratégico do PSD foi apresentado ainda antes de ser conhecido o Plano de Recuperação e Resiliência do Governo, cuja primeira versão deverá ser aprovada em Conselho de Ministros no próximo dia 14 e entregue no dia 15 em Bruxelas.