Coronavírus

Próximo ano letivo vai arrancar sem medidas anticovid

“Não existem medidas específicas para as escolas, e de acordo com as orientações da DGS, compete a cada um o cumprimento de medidas não farmacológicas de prevenção”, diz Ministério da Educação

O ano letivo 2022/2023 vai arrancar sem qualquer medida de combate à propagação de covid-19 específica para as escolas. O Ministério da Educação (ME) explicou, em declarações escritas ao jornal “Público”, que tendo em conta a fase atual da pandemia e a norma da Direção-Geral da Saúde (DGS) que está em vigor, “compete a cada um o cumprimento de medidas não farmacológicas de prevenção de infeção”.

“No contexto atual, a abordagem aos casos de suspeita ou confirmação de infeção por SARS-CoV-2 é implementado através das medidas e ações constantes na Norma 004/2020, cuja última atualização data de 06/07/2022. Deste modo, não existem medidas específicas para as escolas, e de acordo com as orientações da DGS, compete a cada um o cumprimento de medidas não farmacológicas de prevenção da infeção, na perspetiva de saúde pública”, lê-se na resposta do ME.

Os diretores das escolas ainda não receberam nenhum comunicado oficial do Governo a informar que não vão existir limitações no ano letivo que arranca em setembro. O presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (Andaep), Filinto Lima, diz que há esperança de que “este seja um ano de regresso à normalidade das escolas antes da pandemia”.

Coronavírus